Museu Regional de Macaúbas

O Museu Regional de Macaúbas, mantido pela Fundação Cultural Professor José Batista da Mota, foi inaugurado em 11 de dezembro de 1988. Funciona na Praça Imaculada Conceição, n° 29 (antigo 248), aberto de segunda a sexta-feira em horário comercial (manhã e tarde) e aos sábados, pela manhã.

O Prédio


O prédio onde está instalado o Museu de Macaúbas foi construído no início do século XX em estilo art nouveau pelo Monsenhor Hermelino Marques Leão para receber (e impressionar) o Arcebispo da Bahia Dom Jerônimo Tomé da Silva, em Visita Pastoral com vistas à criação das três primeiras dioceses do interior do estado. Originalmente, o prédio era composto de um átrio, um salão para visitas, dois dormitórios, uma sala para jantar e sótão.

Com a saída da família Leão de Macaúbas, no início da década de 1920, o prédio passou a funcionar como “Casa da Câmara” e Fórum. O salão principal tornou-se o salão nobre da cidade com sessões lítero-recreativas e bailes em dias de festa cívica. Após a transferência do Fórum para a Rua Dr. Manoel Vitorino, em 1982, o prédio abrigou, temporariamente a BEFFEÔNICA, em seu final. Apesar de ter passado por uma reforma bancada pela Prefeitura Municipal, o prédio ficou ocioso, até a instalação do Museu Regional de Macaúbas em 1988, marcando a volta do Professor Ático Mota para Macaúbas.

O Acervo

O acervo do Museu de Macaúbas é constituído de peças doadas por macaubenses e amigos do Professor Ático de outras regiões do Brasil. Carece, no momento, de um trabalho de classificação e catalogação. Em linhas gerais, pode-se definir o seguinte:

Sala 1 (átrio) – homenagem aos pioneiros, nomeada de Sala Cel. Liberato Agnez Leão e Dona Josephina Leão: podem-se ver fotos, documentos e objetos pertencentes a pessoas que de alguma forma foram “primeiros” em Macaúbas.


Sala 2 (salão nobre, à esquerda de quem entra) – homenagem ao homem e à mulher do povo, com o nome de Salão dos Lavradores, visto que o inspirador da Fundação assumiu  “a condição insólita de ‘conselheiro dos lavradores’”. Nesta sala, podem-se ver objetos do dia a dia como ferros de brasa, máquinas de costura, potes centenários. Nela encontra-se também a primeira pinacoteca de arte primitivista do Nordeste brasileiro, com quadros de vários autores, muitos deles doados pelo médico potiguar Getúlio Araújo, de quem há uma fotografia exposta.


Sala 3 (primeira porta à direita de quem entra) – homenagem aos agentes de cultura, com o nome de Sala Padre Durval Soares de Sales.


Sala 4 (segunda porta à direita de quem entra) – homenagem aos agentes da educação, com o nome de Sala Professora Venância Maria do Nascimento Rodrigues.

Sala 5 – homenagem ecumênica aos agentes religiosos, com o nome de Sala Cônego Firmino Soares.



Organização:

Postagens mais visitadas deste blog

Fim de semana cultural

Largada

Banca da Fundação